sábado, 26 de janeiro de 2008

O regresso à pedalada!

Poderia pensar-se que o blogue estava desactualizado, mas não. O que aconteceu é que eu não pedalava já desde o ano passado, pois é, é verdade.

Apanhei uma daquelas gripes valentes na passagem d’ano e que me acompanhou até bem pouco tempo. A ajudar, estavam os trabalhos escolares e o estudo a roubarem-me todo o tempo disponível para uma pedalada. É difícil a vida dos trabalhadores-estudantes.
Foi então na passada 5ª feira, dia da última frequência deste semestre, que tive um bocadinho para uma nocturna pela Serra da Estrela.
Passado quase um mês, depois da última vez que tinha pedalado e com a forma desgraçada pela gripalhada, foi uma volta terrível em que “empenei” aos 25 km’s e vi-me à rasca para chegar a casa onde completei os 30 km’s.
Mas a recuperação foi rápida e hoje já me sentia muito bem. Fui até casa no Fundão com a Scott às costas da Astra onde me encontrei com o Figueira para darmos uma volta. Começámos ás 11 horas o que seria um passeio na descontra.
Ainda perdemos um bocado no Motobrioso onde fomos buscar umas câmaras-de-ar, pois nenhum de nós tinha uma a mais e ainda bem que lá fomos, é que foi mesmo preciso uma lá mais para a frente.


Eu
e o Figueira com a sua bike nova
uma Scott, claro :)



Uma paragem para tirar os casacos, que já estava calor
e para mais uma foto. Ah pois!


O percurso escolhido foi seguir para o Souto Alto, para fazermos a passagem para o outro lado e seguir até ao Tortosendo.
Ao chegar ao cimo, onde se vê de um lado o Fundão e do outro a Covilhã, comemos o nosso farnel e pensámos que já que estávamos tão perto do Ferro, podíamos ir fazer uma visita ao amigo Cerezo.


Estas calças com alças, são lixadas pró xixi


O Figueira a descer

Chegámos à casa do Cerezo, tocámos a campainha e lá apareceu ele, que ao ver-nos nos perguntou logo para onde íamos seguir os três. Enquanto o Cerezo se preparava para nos acompanhar, o Figueira reparou que tinha um furo, e lá estivemos nós a fazer a troca da câmara-de-ar.



O Cerezo


A substituição da câmara-de-ar


Já preparados, seguimos os três até ao regadio da Cova da Beira e seguimos sempre por este até Peroviseu, onde acaba. Já que ali estávamos, passámos pela casa do Tó e da Lena, mas não estava ninguém em casa para nos dar o lanche, fica para a próxima.


As obras do regadio


Elas a descançar


Continuámos então para Valverde, passando pela ponte romana e chegámos á zona industrial do Fundão onde acabou a volta em trio. O Cerezo seguiu para o Ferro e nós para casa.



Um estacionamento bem jeitoso
na zona industrial do Fundão


Eu o Figueira e o Cerezo


Foi uma volta muito boa e em que já notei a forma a voltar. Parece que me fez muito bem a voltita de 5ª feira para desemperrar.

Distância percorrida – 55,83km
Tempo de rolamento – 3:43:42
Velocidade média – 14,97km/h
Velocidade máxima – 55,1km/h

2 comentários:

C@MOL@S disse...

55Km bem rasgadinhos, muito bom, belo dia :)

Luis Afonso disse...

Venham mai muitos como este! :)